Nunca Fique Velho

Seja um idoso cheio de saúde e aproveite a vida!

Muita gente morre de medo de envelhecer porque associa envelhecimento a doenças e a uma série de outras questões negativas. Mas pare com isso! É mais do que possível envelhecer bem e de forma saudável.

Longevidade é a palavra de ordem agora.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2013, a expectativa de vida dos brasileiros subiu para 76,9 anos para ambos os sexos. Essa informação derruba por terra a ideia de que o idoso não vive muito. Vive sim, e a alimentação pode e deve ser um grande aliado nessa questão.

Não pense que essas dicas não servem para você, que já está velhinho. Muito pelo contrário, elas devem ser seguidas tanto para quem quer chegar à velhice de forma saudável quanto para quem já está na terceira idade e quer se manter bem, mais disposto e longe de doenças indesejadas.

Então, como envelhecer bem? Como se manter saudável na velhice? A resposta é simples: se cuidando sempre. Separamos algumas dicas infalíveis que o ajudarão a conquistar esse objetivo. Confira!

Ômega-3: auxilia no controle e na redução do colesterol, dos triglicerídeos e da pressão arterial, o que diminui o risco de doenças cardiovasculares. Aliado da memória, do tratamento contra a depressão e da prevenção do Mal de Alzheimer, possui ação anti-inflamatória, sendo indicado para casos de obesidade, de artrite e também para praticantes de atividades físicas. Está presente, por exemplo, em alimentos como o salmão, o atum e a sardinha.

Vitamina E: exerce atividade antioxidante prevenindo o envelhecimento precoce das células e ajudando na proteção dos neurônios. Boas fontes alimentares dessa vitamina são o óleo de abacate, o creme de amendoim, os grãos integrais, a semente de girassol e as nozes.

Carboidratos integrais: controlam os níveis de açúcar no sangue. Substitua os cereais refinados pelas versões integrais, como arroz, pães e massas feitos com farinhas integrais, além de aveia, de quinoa e de amaranto. Eles são ricos em fibras que, de modo geral, auxiliam também no bom funcionamento do intestino e no controle das taxas de colesterol.

Colina: vitamina do complexo B que contribui para a formação de neurônios. Também está associada com a melhora da depressão e da função cognitiva. É encontrada na lecitina de soja e na gema de ovo.

Proteínas: deve-se dar preferência para carnes mais magras, como as de frango ou as de peixe. Também podem ser introduzidos na alimentação por meio do tofu, da manteiga de amendoim ou de amêndoas, ovos mexidos ou cozidos também são recomendados. Grãos integrais e sementes como quinoa, amaranto, chia, e leguminosas como feijão, ervilha, lentilha, grão-de-bico, soja, alfafa e pinhão também contribuem para o aumento de proteínas na dieta.

Cálcio + Vitamina D3: a osteoporose, assim como outras doenças de cunho ósseo, pode ser prevenida com o consumo regular de suplemento à base de cálcio e de vitamina D3, por exemplo. Uma vez que, para o cálcio ser absorvido, é indispensável a presença da vitamina D3.

Vitaminas do Complexo B: as vitaminas do complexo B são necessárias para a produção de neurotransmissores, assim como têm relação com o fortalecimento do sistema imunológico e da memória. De modo geral, estão relacionadas com a saúde do nosso cérebro. Outra função dessas vitaminas é propiciar o aumento da disposição e da energia, evitando a fadiga e o cansaço durante o dia.


"Não tenha medo de envelhecer. Nossa maturidade é determinada por nossas escolhas. Escolha bem e envelheça bem".


Créditos: Conteúdo publicado no site da loja Mundo Verde.

Gostou? Compartilhe com seus amigos:
 
Voltar ao Topo!