Mitos e verdades sobre os Inibidores de Apetite

Relacionamos 16 perguntas e respostas para você entender melhor o assunto. Vale a pena ler.

1. Inibidores de apetite aceleram o metabolismo?

VERDADE: O uso desses medicamentos provoca o aumento do gasto calórico e a liberação de dopamina, substância química liberada pelo cérebro, responsável pela sensação de bem estar que diminui a vontade de comer.

2. Anfetamínicos não podem ser usados com outros remédios?

PARCIALMENTE VERDADE: Não é recomendável ingerir anfetamínicos com outros remédios que atuam no sistema nervoso central, como antidepressivos. O uso concomitante com antibióticos também deve ser evitado, sendo necessário interromper o uso do emagrecedor até curar a infecção. Já o uso conjunto com anticoncepcionais é liberado .
3. Uso de inibidores de apetite à base de anfetaminas diminui a libido?

PARCIALMENTE VERDADE: Pode acontecer porque o remédio atua no sistema nervoso central, que faz diminuir a fome e pode reduzir também a libido. Mas essa reação é considerada rara. A perda de peso, por sua vez, pode causar efeito contrário e aumentar a disposição para um maior número de relações sexuais.

4. Hipertenso não pode tomar inibidores de apetite à base de anfetaminas?

PARCIALMENTE VERDADE: O hipertenso pode usar inibidores de apetite desde que esteja com a pressão controlada. Caso contrário, deve evitar.

5. Inibidor de apetite à base de anfetaminas causa dependência química?

MITO: Os medicamentos atuais são de uma geração que evita a dependência química se forem usados com supervisão médica. Há possibilidade de haver dependência psicológica do remédio, a ponto de o paciente achar que só vai emagrecer se continuar a usá-lo.

6. Inibidor de apetite à base de anfetaminas causa problema cardíaco?

PARCIALMENTE VERDADE: O uso exagerado e sem prescrição médica pode causar taquicardia e arritmia cardíaca porque os inibidores de apetite com base em anfetaminas aumentam a frequência cardíaca. Se o uso for controlado, podem surgir sintomas de forma leve, mas sem causar problemas de saúde. Infartados devem evitar.

7. Inibidores de apetite à base de anfetamina causam mau hálito?

MITO: Não é o remédio, mas o processo de emagrecimento que leva ao mau cheiro na boca. Quando se faz dieta pobre em carboidrato, o organismo começa a utilizar os depósitos de gordura como fonte de energia e, consequentemente, libera uma substância na corrente sanguínea que causa o mau cheiro ao ser excretada pela respiração e pela urina .

8. Inibidores de apetite à base de anfetaminas servem como antidepressivo?

PARCIALMENTE VERDADE: O uso deste tipo de emagrecedor causa excitação, o que faz o paciente se sentir mais disposto. Mas seu uso não deve ser feito exclusivamente para o tratamento da depressão.

9. Inibidores de apetite genéricos não fazem o mesmo efeito que os originais?

MITO: Os laboratórios farmacêuticos usam os mesmos princípios ativos na fabricaç&
atilde;o dos remédios originais e nos genéricos .

10. Inibidores de apetite substituem a comida?

MITO: O inibidor de apetite, como o nome já diz, diminui a vontade de comer, mas não impede o usuário de sentir fome e nem exclui a necessidade de repor nutriente.

11. Não se pode tomar inibidores de apetite por mais de três meses?

MITO: Não há consenso quanto ao tempo mínimo e máximo de uso dos inibidores de apetite. Alguns especialistas indicam por, no máximo, três meses, mas há possibilidade de se usar por mais tempo em caso de dificuldade em perder peso.

12. Quem toma anfetamínicos não precisa fazer exercícios?

MITO: O tratamento para perder peso com medicação deve ser composto também de exercícios físicos e de um programa de reeducação alimentar para ter sucesso e evitar o "efeito sanfona".

13. Sibutramina é a melhor opção para emagrecer?

MITO: Cada tipo de inibidor de apetite age de uma forma no organismo, alguns acelerando o metabolismo, como os anfetamínicos, e outros diminuindo a vontade de comer, como a sibutramina. Por isso devem ser receitados caso a caso e nunca usados em conjunto.

14. Tenho que tomar anfetamínicos pelo resto da vida para ficar magro?

MITO: Não há consenso quanto ao tempo mínimo e máximo de uso dos inibidores de apetite. O ideal é tentar manter o peso com exercícios e reeducação alimentar depois de interromper o uso. Se houver ganho de peso após esse processo, é possível voltar a tomar a medicação, sempre com orientação médica.

15. Tomar anfetamínico causa derrame?

MITO: O que pode causar derrame é a pressão alta, sintoma comum entre obesos.

16. Toda pessoa volta a engordar sempre que para de tomar o inibidor de apetite?

PARCIALMENTE VERDADE: Os anfetamínicos diminuem a fome, o que faz com que o indivíduo coma menos. Sem o remédio, há uma tendência em engordar porque o efeito da medicação é cortado. Por isso, além do remédio, o tratamento da perda de peso deve vir acompanhado de dieta balanceada e exercícios físicos. Assim o peso poderá ser mantido.


» É sempre importante consultar um médico.


Créditos: Conteúdo publicado no site UOL/Saúde.

Gostou? Compartilhe com seus amigos:
 
Voltar ao Topo!