Conheça os riscos da Diabetes Tipo 1 na gravidez

A gestação irá precisar de alguns cuidados especiais, como planejamento e preparação.

A gravidez é um momento especial na vida da mulher - tudo que desejamos é um período sem complicações tanto para a mãe, quanto para o futuro bebê. Na paciente com diabetes tipo 1, a gestação irá precisar de alguns cuidados, como planejamento e preparação.

Um dos maiores cuidados quando uma paciente diabética tipo 1 fica grávida é com relação aos seus níveis de açúcar - a glicemia e a hemoglobina glicada. É importante saber se esses níveis estão controlados, pois quando muito altos (hemoglobina glicada maior que 10%) aumentam o risco do bebê nascer maior para sua idade gestacional. Ao nascer acima do peso, há maior risco de problemas durante o parto, de malformações e também de hipoglicemia nas primeiras horas de vida.

Então, planejamento. O controle dos níveis de glicemia antes da gestação deve ser feito com maior frequência - a ideia é deixar a paciente o mais controlada possível. A programação da dieta é fundamental, pois na gestação há alteração no padrão alimentar, e a escolha dos alimentos é importante para manter o bom controle do açúcar no sangue. A avaliação da retina deve ser feita preferencialmente quando o casal decide engravidar, principalmente se não foi realizada no mínimo nos três meses anteriores. O mesmo cuidado é tomado com os exames dos rins.

Durante a gravidez, é importante preparação. A dieta deve ser seguida para evitar ganho de peso em excesso. Na paciente diabética tipo 1, o ganho de peso pode obrigar a mulher a aumentar a dose de insulina, para que os níveis de açúcar não se descontrolem. Além disso, há maior risco de aumento de resistência insulínica com o ganho de peso, o que não é desejado para o controle do diabetes. Ginecologista e obstetra, endocrinologista e nutricionista vão formar um time que, trabalhando em conjunto, irá preparar a futura mamãe para um parto sem riscos.

A decisão sobre o tipo de parto para a futura mãe é tomada em conjunto: gestante e obstetra. Entretanto, via de regra a data do parto é programada, para evitar risco de complicações como hipoglicemia ou hiperglicemia.

Depois do parto, a amamentação é sempre estimulada, e o bebê será avaliado com exames gerais e também alguns mais específicos, como o ecocardiograma para checar o desenvolvimento do coração. A glicemia do bebê também vai ser monitorada, junto com a da mãe.


» Procure sempre um profissional de saúde para obter orientação especializada.


Créditos: Conteúdo publicado no site "Minha Vida".

Gostou? Compartilhe com seus amigos:
 
Voltar ao Topo!