Infecção Urinária: mulheres são as que mais sofrem com o problema

Conheça e entenda as causas, sintomas e tratamentos.

Infecção urinária é a presença anormal de microrganismos em alguma região do trato urinário. Algumas pessoas, especialmente mulheres, podem apresentar bactérias no trato urinário e não desenvolverem infecção urinária, chamadas de bacteriúria assintomática.

As principais causas são a relação sexual e a presença das bactérias do trato gastrointestinal que migram por via ascendente da região perineal até a bexiga. Raramente ocorre pela via hematogênica (circulação sanguínea).

Essa doença possui dois tipos: a cistite e a pielonefrite. A cistite é quando a infecção afeta a bexiga, enquanto a pielonefrite afeta o rim. Essa última possui sintomas mais severos.

A doença, que possui incidência de 80% a 90% em mulheres, é mais prevalente na idade reprodutiva e nas mulheres que estão na menopausa, devido à queda do estrogênio e de micro-organismos que protegem a região íntima.

SINTOMAS

Na infecção urinária, os principais sintomas na mulher são:

Disúria (ardor na uretra durante a micção);
Aumento da frequência urinária (mais de sete vezes por dia);
Noctúria (mais de uma micção noturna);
Sensação de esvaziamento incompleto da bexiga;
Dor suprapública;
Sangue na urina;
Alteração do aspecto físico da urina (coloração escura, aparência turva e odor forte).

Em alguns casos
mais severos, a doença pode causar dor lombar, febre e/ou mal-estar.

DIAGNÓSTICOS

É uma doença que, quando não tratada adequadamente, pode acometer todo o trato urinário, independente da faixa etária do paciente. As mulheres sofrem mais com o problema por terem uma uretra mais curta e mais próxima ao ânus, local rico em bactérias provenientes das fezes. A doença é causada por micro-organismos que entram pela uretra e que podem até mesmo atingir a bexiga e os rins, infectando todo o trato urinário, causando fortes dores.

O diagnóstico da infecção urinária é realizado em consultório pela escuta das queixas do paciente e pelo exame físico realizado em consultório. A comprovação da infecção é realizada pelo exame de urina e determinação da quantidade de bactérias presentes na amostra coletada. Se o resultado for superior a 100 mil bactérias por mililitro é diagnosticada a infecção urinária. O tipo de bactéria causadora da infecção e o antibiótico apropriado para o tratamento são determinados pela cultura de urina (urocultura).

Dependendo do nível da infecção e do histórico do paciente, o médico pode solicitar outros exames para investigar o aparelho urinário. Podem ser solicitados exames como ultrassom do abdômen e da pelve, urografia excretora, cintilografia renal e outros exames de imagem, tais como tomografia do abdômen.

PREVENÇÃO

Recomendam-se algumas medidas a serem realizadas no dia a dia. Confira abaixo:

Ingestão de líquidos em grande quantidade;
Não reter urina;
Corrigir alterações intestinais como diarreia ou obstipação;
Micção antes e após relação sexual;
Estrógeno para as mulheres na pós-menopausa sem contraindicação hormonal;
Evitar o uso do diafragma e espermicidas;
Tratamento adequado do diabetes mellitus.


TRATAMENTOS E CUIDADOS

Para a infecção urinária do tipo cistite é possível o tratamento com antibiótico de dose única, de curta duração (três dias) ou de longa duração (sete a dez dias). Já o do tipo pielonefrite, a indicação é o uso do medicamento de longa duração.

Como no caso do corrimento vaginal, a idade e o modo de vida da paciente devem ser levados em consideração para a escolha do tratamento.

Fontes:

Stamm, Walter E., and Thomas M. Hooton. ?Management of urinary tract infections in adults.? New England journal of medicine 329.18 (1993): 1328-1334.

Kass, Edward H. ?Asymptomatic infections of the urinary tract.? The Journal of urology 167.2 (2002): 1016-1020.

Kass, Edward H. ?Asymptomatic infections of the urinary tract.? The Journal of urology 167.2 (2002): 1016-1020.

Kunin, Calvin M., and Regina C. McCormack. ?Prevention of catheter-induced urinary-tract infections by sterile closed drainage.? New England Journal of Medicine 274.21 (1966): 1155-1161.

Johnson, James R., and Walter E. Stamm. ?Urinary tract infections in women: diagnosis and treatment.? Annals of internal medicine 111.11 (1989): 906-917.

L.BR.07.2014.2147

Dr. Sergio dos Passos Ramos CRM17.178 ? SP

Lima, Geraldo Rodrigues de; Girão, Manoel J.B.C.; Baracat, Edmund Chada. Infecção do trato urinário inferior. In: Ginecologia de Consultório. 2003.1ª Edição. P. 47-51. Editora de Projetos Médicos. São Paulo-SP.

LOPES, Hélio Vasconcellos; TAVARES, Walter. ?Diagnóstico das infecções do trato uriná
rio?. Disponível em: . Acesso em 14 de 2014.

L.BR.01.2015.2873

Lima, Geraldo Rodrigues de; Girão, Manoel J.B.C.; Baracat, Edmund Chada. Infecção do trato urinário inferior. In: Ginecologia de Consultório. 2003.1ª Edição. P. 47-51. Editora de Projetos Médicos. São Paulo-SP.

Fonte:

Lima, Geraldo Rodrigues de; Girão, Manoel J.B.C.; Baracat, Edmund Chada. Infecção do trato urinário inferior. In: Ginecologia de Consultório. 2003.1ª Edição. P. 47-51. Editora de Projetos Médicos. São Paulo-SP.


» É sempre importante consultar um médico.


Créditos: Conteúdo publicado no site da Bayer S/A

TAGs: Mulher
Gostou? Compartilhe com seus amigos:
 
Voltar ao Topo!