Melhores alimentos para quem passa o dia sentado

Se o seu dia a dia te obriga a ficar várias horas sentado, cuidar da alimentação é imprescindível

Que alguns alimentos podem te ajudar a ter uma vida mais saudável, isso já é um fato conhecido. E você sabe quais são os melhores alimentos para quem passa o dia sentado? Conheçar os riscos e a importância de uma boa alimentação para quem tem que ficar em uma cadeira na maior parte do tempo útil do dia.

6 Tipos de alimentos para quem passa o dia sentado
Além de dar uma paradinha, a cada três horas, para alongar o corpo, a alimentação não somente pode, como deve ajudar no processo de adaptação e recuperação do mesmo, ajudando a minimizar os efeitos do sedentarismo.

Acompanhe esta lista com os sete melhores tipos de alimentos para quem passa o dia sentado, visando uma melhor saúde como um todo, hidratação, praticidade e inclua-os hoje mesmo na sua rotina.

1. Maçã, pera, nectarina e pêssego
Essas frutas são ricas em nutrientes importantes, como as vitaminas essenciais para o organismo, bem como antioxidantes, que ajudam a manter o corpo saudável a nível celular. Além disso, são fonte de hidratação lenta, diferente da água de coco, ajudando na saúde e também na produtividade.

2. Banana
A banana é rica em potássio, assim como diversos outros alimentos, fazendo com que o ácido lático não fique concentrado na musculatura, prevenindo a formação da cãibra, bastante comum quando se passa o dia sentado. Além de fácil de armazenar e gostosa, ela é prática e pode ser comida como um lanche entre as refeições.

3. Beterraba, pepino, cenoura e outros legumes
O consumo desses e outros legumes ajudam na hidratação do corpo e na prevenção de inchaço nas pernas, tornozelos e pés. Então se você sofre com os pés inchados ao final do dia, vale a pena investir nesses alimentos.

4. Ovo cozido
Ele pode ser cozido em casa e levado já frio, com a casca ainda, em potinhos de plástico ou até mesmo enrolado em plástico filme. O consumo de ovos é importante para você pois são ricos em ômega-3 e vitamina E. Esses dois nutrientes são anti-inflamatórios e antioxidantes e previnem a coagulação, o que minimiza o risco de trombose.

5. Carne vermelha grelhada
Além de ser fonte de proteína, a carne é fonte de mioglubina, substância que facilita o transporte de oxigênio pelos músculos e também evita inchaços. Mas lembre que o excesso de sal só atrapalha, então dispense aquele churrasquinho e opte pelo grelhado, ok?

6. Oleaginosas
Queridinhas de todos os nutricionistas e, sem dúvidas, deliciosas, as oleaginosas são ricas em magnésio e potássio, que ajudam o corpo a não desenvolver cãibras. Elas podem ser trituradas e consumidas com aquela banana que você levou e, quem sabe, uns pedacinhos de maçã. Além de um lanche delicioso, é funcional.

Levar o próprio alimento para o trabalho, com as marmitas saudáveis e lanches fáceis de carregar, pode te ajudar a manter uma rotina mais saudável e até a te dar mais energia para praticar atividades físicas ao final do dia. Lembre-se de se alongar durante o trabalho também, para poder ter mais qualidade de vida durante toda a semana e não somente aos domingos.

O sedentarismo em números
O sedentarismo é nocivo ao seu corpo, pois enfraquece a musculatura, reduz a elasticidade das articulações, contrai as artérias e aumenta a frequência cardíaca. Além disso, aumenta a inflamação no corpo, a resistência à insulina, podendo fazer muito mal ao sistema cardiovascular como um todo.

De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) de 2018, 23% dos adultos são sedentários no mundo; se contabilizados os jovens, essa porcentagem passa para os 81%.

Você se considera uma pessoa sedentária? Se sim, não está só. Outro relatório também comandado pela OMS mostrou que quase metade da população brasileira não pratica atividades físicas regularmente. Isso deixa o Brasil como o país mais sedentário da América Latina e um dos mais sedentários do mundo!

Com as mulheres o quadro é ainda mais grave: elas acabam tendo menos lazer e atividades externas do que o homem. Para a Organização, “oferecer mais oportunidades para atividades seguras e acessíveis de lazer para as mulheres, a fim de aumentar seus níveis gerais de atividade, ajudaria a fechar a brecha de gênero e atingir a meta de 2025 atividades físicas globais”.

Alguns fatores apresentados pela OMS como os que levam a um maior sedentarismo nas mulheres são as “normas culturais, papéis tradicionais ou falta de apoio social e comunitário”, sendo necessária uma mudança urgente de comportamento para que se possa igualar o direito à saúde.


Créditos: Conteúdo originalmente postado no site Dicas Online.

Gostou? Compartilhe com seus amigos:
 
Voltar ao Topo!